Gestão Estratégica e utilização BSC

by Patric Dall asen
9 meses ago
457 Views

Historicamente o BSC surgiu na década de 90 nos Estados Unidos sendo apresentado pelos professos Robert S. Kaplan e David P. Norton. No mesmo período os métodos existentes utilizavam indicadores ou informações Contábeis e Financeiras, mas notou-se que eles estavam se tornando obsoletos frente a necessidade de executivos. Diante dessa “DOR”, esse novo modelo considerava e considera hoje os objetivos em curto e longo prazos, medidas financeiras e não financeiras, indicadores de performance e as perspectivas interna e externa do desempenho empresarial.

Dava-se início a revolução criado com um único objetivo de demonstrar as desvantagens de usar apenas medidas financeiras para julgar o desempenho empresarial, incentivando as empresas a medir também fatores como qualidade e satisfação do cliente. O que os autores chamaram de “Balanced Scorecard” (Cenário Balanceado) vem sendo muito utilizado como uma ferramenta adequada para medir o desempenho das organizações, tornando-se a marca de uma organização bem administrada. Empresas bem-sucedidas dizem que BSC é a base sobre a qual se assenta seu sistema de gestão.

No Cenário Balanceado, considera-se no caminho do sucesso a organização que possui os quatro conjuntos de indicadores devidamente “balanceados”, ou seja, se em um determinado período e empresa for muito bem financeiramente, mas com indicadores referentes ao atendimento a clientes avaliados como abaixo do esperado, muito provavelmente, em médio prazo, irá apresentar problemas de sobrevivência.

Simplificando, BSC é um conjunto de indicadores e gráficos de um “painel de controle” da empresa. Hoje esse conceito é fortemente difundido como “Torre de Controle”. Fazendo uma analogia seria algo como o painel de instrumento de um caminhão onde esses medidores obrigatórios, como velocidade, pressão de óleo, nível de combustível e outros indicadores específicos. Por sua apresentação gráfica torna-se de fácil análise permitindo aos administradores uma rápida e abrangente visão da situação dos negócios em tempo real.

Com esse conceito os resultados financeiros finais são o resultado de ações já tomadas, medidas de satisfação de clientes, processos internos ajustados, e do crescimento e aprendizado, ou seja, são elementos básicos que conduzem a empresa para o futuro desempenho financeiro do negócio. BSC é mais do que um sistema de medidas, devendo traduzir a visão e a estratégia de uma empresa em objetivos e medidas, que representam o equilíbrio entre indicadores externos voltados para acionistas e clientes, e medidas internas dos processos críticos, de inovação, aprendizado e crescimento.

Concluímos que BSC não traz qualquer conceito novo e não é também um “bola de cristal” mas repensa temas antigos, chamando a atenção para pontos que estavam esquecidos ou mal compreendidos. Faz a vinculação entre pontos vitais que não estavam articulados. Mostra como esses conhecimentos estabelecidos podem ser aplicados aos tempos modernos, para atender às exigências impostas pelo ambiente competitivo e, aumenta a compreensão do tema “estratégia X operação”. Que o BSC venha a fazer parte das ferramentas utilizadas pelos administradores para gerirem de maneira eficiente e eficaz construindo empresas de sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *